CNB-CF divulga resultado do Prêmio Nacional de Monografia Notarial Zeno Veloso


Anúncio foi feito oficialmente durante o XX Congresso Notarial Brasileiro, no último dia 2 de outubro na cidade do Rio de Janeiro.

Rio de Janeiro (RJ) – Com o intuito de incentivar o desenvolvimento de obras acadêmicas no segmento notarial, o Colégio Notarial do Brasil – Conselho Federal (CNB-CF) promoveu o Prêmio Nacional de Monografia em Direito Notarial “Zeno Veloso”. Foram cerca de 130 inscritos, entre estudantes do curso de Direito, notários e prepostos, dos quais foram escolhidos 6 ganhadores, anunciados durante o XX Congresso Notarial Brasileiro, no dia 2 de outubro na cidade do Rio de Janeiro.

A primeira colocação na categoria ‘Notários e Prepostos’ ficou com o Tabelião do município de Hortolândia (SP), Luiz Guilherme De Andrade Vieira Loureiro; o segundo lugar com a Tabeliã da cidade de Arealva (SP), Débora Fayad Misquiati; e o terceiro lugar da categoria com o Tabelião de Notas do município de Platina (SP), Moacyr Petrocelli de Ávila Ribeiro. Os tabeliães vencedores optaram escrever sobre o Tema I “A confiança depositada no notário pelos cidadãos, empresas e pelo Estado: suas razões sociais, jurídicas e econômicas”.

Na categoria ‘Estudantes de direito’, os vencedores foram Débora Ribeiro Sá Freire (RJ), 1ª colocada,Elem Cristina do Nascimento (SC), 2ª colocada, e Evandro de Azevedo Lima (RS), 3º colocado, com todos os estudantes vencedores optando pelo Tema I.

O tabelião de Hortolândia, Luiz Guilherme Loureiro, acredita que havia uma necessidade de informação sobre a importância da função notarial na sociedade. “Me identifiquei bastante com o tema e resolvi participar do concurso. Apesar de ter completado 450 anos, nossa atividade é relativamente pouco conhecida pelos nossos operadores de Direito”, afirmou o vencedor da categoria ‘Notários e Prepostos’. Loureiro também se disse muito feliz pelo feito e salientou a qualidade do notariado brasileiro. “Me sinto muito honrado e orgulhoso por essa conquista, pois tinha conhecimento de que seria uma concorrência acirrada devido ao alto nível intelectual dos novos notários brasileiros”, salientou.

A primeira colocada na categoria ‘Estudantes de Direito’, Débora Ribeiro Sá Freire, declarou que desde criança tem contato com a área de direito notarial, já que sua mãe almejava atuar como notária, além de sempre ter desejado desenvolver um trabalho sobre o tema. “Quando entrei na faculdade, comecei a desenvolver um trabalho na área de pesquisa científica, no qual abordei a segurança jurídica dada aos negócios. Quando vi o cartaz na faculdade anunciando o concurso, me apaixonei, pois sempre quis abordar esse tema em um trabalho, explorando a responsabilidade do Tabelião, que tem como dever a garantia da segurança jurídica nas transações negociais”, destacou a estudante.

O colunista do CNB-CF, tabelião de Platina e terceiro colocado na categoria ‘Notários e Prepostos’ do concurso de monografia, Moacyr Petrocelli, destacou que a iniciativa foi excelente, além de homenagear o grande jurista Zeno Veloso, que tem uma vida dedicada à área notarial. “Desde que fiquei sabendo do concurso de monografias fiz questão de participar. Acho importante que os notários se dediquem à atividade acadêmica, e concursos como este sempre estimulam a pesquisa científica e o aprimoramento dos conhecimentos sobre a atividade notarial”, relatou. O notário também se disse surpreso por sua colocação no certame. “Sabemos que o notariado brasileiro é composto por grandes profissionais. Juristas que honram a atividade e muitos deles participaram do concurso. Ficar entre os primeiros colocados trouxe-me uma alegria muito grande e, principalmente, um estímulo para continuar aprimorando meus conhecimentos sobre a atividade notarial”, finalizou.

A estudante Elem Nascimento, segunda colocada em sua categoria, salientou a importância do notário para a sociedade, uma vez que considera o profissional um dos responsáveis por divulgar a evolução da sociedade no decorrer do tempo. “Hoje em dia, estes profissionais têm grande responsabilidade, levando em consideração que são dotados de fé pública e auxiliam, em muitas vezes, “desafogar” o Judiciário, tornando os negócios jurídicos mais céleres e econômicos para as partes”, enalteceu. “Gostei de participar do concurso, pois pude contribuir com a sociedade e demonstrar o quão importante é a profissão notarial, além de conhecer mais sobre o trabalho desenvolvido nos cartórios de notas”, frisou.

Para a segunda colocada na categoria ‘Notários e Prepostos’, participar do Prêmio de Monografia Notarial foi uma oportunidade única de entrar em contato com o que há de mais moderno nos temas notarias, possibilitando demonstrar a importância da atividade notarial nos mais diversos ramos. ” A participação permite também o aprimoramento intelectual e profissional das funções notariais a fim de melhorar a prestação de serviço ao cidadão, pois a participação neste concurso reflete diretamente na qualidade do trabalho junto à população, que é o que realmente importa”, salientou Débora Misquiati.

A tabeliã declarou também estar muito feliz e honrada com sua colocação. “É uma realização pessoal, uma resposta positiva à minha dedicação aos estudos e à profissão e uma oportunidade ímpar de ter acesso à atividade notarial no berço da civilização que é a Europa, em especial em Paris no XVIII Congresso Internacional do Notariado”, finalizou.

Os participantes que não retiraram seus prêmios durante o XX Congresso Notarial Brasileiro, serão informados sobre um novo dia para que a entrega seja feita nas Seccionais de seus respectivos estados.

Fonte: CNB-CF