2ª Conferência Afroamericana reúne notários de diversos países no Rio de Janeiro

No dia 28 de setembro, notários de todas as partes do mundo se reuniram no Sheraton Rio Hotel & Resort para celebrar a 2ª Conferência Afroamericana Hugo Perez Montero, que se encerra no dia 29. A mesa de abertura contou com o presidente do Colégio Notarial do Brasil – Conselho federal (CNB/CF), Ubiratan Pereira Guimarães; o presidente da Conferência e ex-presidente do CNB/CF, João Figueiredo Ferreira; o presidente da União Internacional do Notariado Latino (UINL), Daniel-Sedár Denghor; o coordenador da UINL para a América, Hernan de La Fuente; o secretário geral da UINL, Rajendra Dassyne; o ex-diretor geral da Organização das Nações Unidas (ONU) para alimentação e agricultura, Jacques Diouf e o ex-ministro de finanças de Benin, Abdoulaye Bio Tchane.

Com a palavra, Ubiratan Guimarães agradeceu a presença de todos e ressaltou a importância do encontro entre o continente americano e o africano que, embora separados pelo oceano, estão muito próximos em suas raízes culturais e históricas. “A relação entre a América e a África distanciou da execrável distanciação histórica para se tornar uma admirável relação fraterna que produziu uma excelente mistura de raças. Praticam o mesmo modelo de notariado com o essencial lastro na fé pública que alicerça a segurança jurídica e a prevenção de litígios”, defendeu. “O que se propõe para o nosso encontro é que se frutifiquem decisões úteis não apenas para o notariado mas sobretudo para as sociedades dos nossos países”.

O presidente da UINL, Daniel-Sedár Senghor, afirma que a ambição natural do notariado é facilitar as relações de negócios entre as pessoas e que é essencial o cumprimento do papel social entre a categoria. “Esse é um momento único do notariado. O Colégio Notarial conseguiu reunir tabeliães de toda parte do mundo para construir uma ponte de intercâmbio entre os dois continentes do atlântico sul na qual se podem haver trocas de saberes e de cultura”, constatou. “A parceria entre a África e o América é essencial para o equilíbrio político e para a seguridade. Espero ouvir soluções práticas e inovadoras para tudo o que será apresentado ao longo desses dois dias”.

Em seguida, o notário Jorge Piñero realizou uma homenagem ao uruguaio Hugo Perez Montero que, em 1996, realizou na cidade de Abidjan, na Costa do Marfim, a primeira edição da Conferência Afroamericana. “Ele sempre estava atento aos problemas notariais, tornando-se uma referência no assunto, com informes sérios e premeditados. Integrou diversas comissões de trabalho e cargos de direção, foi um excelente redator de conclusões e um grande entusiasta das questões sociais e culturais que acompanha todos os seus anos”, relembrou.

Ao declarar oficialmente aberta a Conferência, o seu presidente, João Figueiredo Ferreira, apontou que as especialidades comerciais dos dois continentes são abundantes em diversos setores. “Sabemos que as intenções comerciais necessitam de um ambiente apropriado, sem o qual não sobrevivem. Sem dúvida o mais importante atributo desse ambiente é o respeito ao contrato, com direito a um julgamento rápido através de um judiciário independente”, ressaltou. “O notário é um conselheiro confiável e poderá orientar as partes sobre os riscos inerentes à escritura pública que irá preparar”.

Ainda discursaram na abertura o notário Jacques Diouf, o coordenador científico da Conferência Ahmadou Toure e o coordenador da UINL Hernan de La Fuente. Por fim, o ex-diretor geral da ONU para alimentação e agricultura Jacques Diouf recebeu homenagens do CNB/CF e da UINL.

Fonte: CNB/SP